Home

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Carta sobre o silêncio endereçada àqueles que não sabem o que falar.




“O que quer o povo afinal? O povo é um caos sumptuoso. Quer cantar? Dançar? Trabalhar? Comer? Beber? Dormir? Copular? Sim, isso tudo, e mais? (...) São bifes do lombo em molho de natas? (...) Talvez, um inverno menos branco? (...) Porventura, um céu com amoras? Ou cavalos que mijem vinho? (...) Vou dizer-vos o que o que o povo quer? Meus amigos e minhas amigas... O Povo... Quer... O Povo... Quer... (pausa prolongada)... Eles não sabem. É isso mesmo: ELES-NÃO-SABEM.”
(Um Piano Para Cavalos Altos – Sandro William Junqueira)

As pessoas permanecem em silencio porque não sabe o que dizer.

As pessoas estão insatisfeitas. Em todos os lugares, em todas as classes sociais, em todas as idades, as pessoas estão insatisfeitas. Elas sentem que algo está errado. Elas olham para o mundo, para a sociedade, e veem que tem algo errado ali. Que algo tem que mudar. Que o mundo tem que mudar. Em algum momento da vida, elas vão perceber que obedecem a padrões, que devem estudar, que devem ter um bom emprego, que devem seguir a moda; vão perceber que precisam fazer isso para se alimentar, para alimentar suas famílias, seu animais de estimações, alimentar seus vícios, suas vaidades, seus medos... Perceber que não são livres. Que estão sempre com algo faminto dentro de si que deve ser alimentado. Que são escravos dos monstros insaciáveis que são elas mesmas.

Mas pergunte a essas pessoas que sabem que algo está errado: qual é o problema? Qual é o grande problema? O que faz com que o mundo seja desse jeito? Por que as coisas são assim?

Elas não sabem.

Tem uma coisa que faz parte do ser humano, que é a busca por respostas. E as respostas estão em todo lugar. Em tudo o que está explícito, há respostas. Na religião, o que está errado é o diabo. Na família, o que está errado é o comportamento do filho. Na escola, o que está errado são as notas. O trabalho, o chefe. Na sociedade, a corrupção. Na natureza, o aquecimento global. Esses são os problemas que todos enxergam, esses são os problemas que são apresentados às pessoas. E todas essas respostas são superficiais. Elas servem para deixar as pessoas ocupadas.

Não se enganem: há sempre um problema colocado à frente das pessoas para que elas se ocupem e não tenham tempo para procurar a resposta do “o que está errado?

Para os religiosos, todos devem rezar para formar um mundo melhor, e eles estão fazendo sua parte. Para os ativistas políticos, todos devem lutar para o governo ser mais honesto, e eles estão fazendo sua parte. Para os ambientalistas, é preciso que todos cuidem do meio ambiente, e eles estão fazendo sua parte. Todos eles creem que estão fazendo a sua parte. Acontece que fazer a sua parte não existe. Captem isso: FAZER A SUA PARTE É UMA ILUSÃO!

A sociedade está fragmentada em grupos. E são muitos grupos. Religiões, tribos urbanas, gerações, classes sociais, preferências políticas... As pessoas estão divididas. Cada uma acredita em uma coisa. E então quando você pensa: “Vou fechar a torneira enquanto escovo os dentes. Todos devem fazer isso. Se cada um fizer isso, o mundo será mudado. Eu estou fazendo a minha parte.”, você está fazendo o que você acredita, mas não existe essa história de se cada um fizer isso, porque as pessoas não vão fazer. E, mesmo se fizerem, o mundo não vai mudar. E sabe por quê?

Porque as pessoas estão divididas. Porque não há uma única ideologia vigente em nossa sociedade ocidental capaz de unir todas as pessoas do mundo em prol de uma única causa. Nem mesmo o cristianismo é tão forte. Nenhum partido político convence a todos. Há sempre quem vai criticar isso.
Então, o que está errado? O que está errado no mundo? Que direito eu teria de dizer que o que está errado são as pessoas?

Não é. As pessoas continuam não sabendo o que está errado. As pessoas não tem culpa.

O povo é instável demais para fixar-se em algo, fragmentado demais para unir forças em prol de uma causa.

O povo está perdido.

E quem o encontrou foi o capitalismo, que dividiu o povo em pequenos grupos que não sabe o que quer, e deu a cada grupo uma causa fútil pela qual lutar. Sim, fútil. Todas as causas são fúteis.

As pessoas sabem disso. Elas sabem que não mudarão o mundo e se conformam com isso. Contanto que possam mudar de vida, tudo bem. Tudo bem.

Tudo bem?

Não.

Não é para todo mundo que está tudo bem. Há quem queira mudar o mudo. E para essas pessoas que querem mudar o mundo, também há ilusões, também há problemas que lhes são apresentados. E que são absorvidos por eles. Causas falsas pelas quais lutar.

Como o Mensalão, por exemplo. Ou as inumeráveis campanhas contra a Rede Globo. Ou as campanhas contra Marco Feliciano e Renan Calheiros. ou a PEC.

Se o governo fosse bobo, não estaria no poder. Aquelas pessoas que estão assistindo a novela, vendo jogo de futebol e agradecendo o Lula e a Dilma pelo Bolsa Família não preocupam a ninguém. Não preocupam ao governo. As pessoas que preocupam o governo são aquelas que querem lutar contra a alienação. E eles sabem que programas de TV e reportagens não resolverão isso. A única coisa que pode ser entregue a esse grupo de pessoas que querem mudar o mundo, é uma causa. Uma causa capaz de acender nessas pessoas o fogo da revolta e então consumir esse fogo por completo.

Um deputado racista e homofóbico seria perfeito para isso. Seria um dedo na ferida capaz de atrair todos os olhares e consumir todas as chamas revolucionárias até que elas parem de queimar. E então essa causa vai perder toda a força. Nenhuma dessas falsas causas termina em alarde, como a grande Revolução Francesa, ou a Revolução Russa, que se tornaram inesquecíveis. Não, essas falsas causas, depois de gastarem toda a energia do povo, acabarão por si mesmas, perderão a força, serão ridicularizadas, serão desmoralizadas, serão esquecidas. Esquecidas até mesmo pelos próprios adeptos.

E é assim que acaba. Foi assim com a SOPA. Foi assim com Renan Calheiros. Está sendo assim com Feliciano e com a PEC.

E no final não há solução. Porque, depois de consumir todo o seu fogo, as pessoas continuam sem saber o que é que está errado.


As pessoas permanecem em silêncio, porque não sabem o que falar.





Texto escrito para o Céu Literário. Outros textos sobre silêncio: Vitor VallomborosoHuirian,  Huirian,  Amanda,  FelipeMara e Dora
Esta Carta pertence à coluna Mais de Mil Cartas Antes de Dormir

Comentários
2 Comentários

2 comentários:

Samuel disse...

Belíssimo texto. Falar a verdade, essa tal de Erica Prado aqui do Decadência... Santa Querupita, que textos. S2
Quando diz "E todas essas respostas são superficiais. Elas servem para deixar as pessoas ocupadas." Eu não só concordo como digo mais: contentamento. Acho que as pessoas sentem orgasmo quando mandam elas dormir em tal hora, acordar e trabalhar tal hora. Além de sermos controlados, somos vigiados. Vamos comer X-Burguer e beber Coca, porque? Porque é legal e o Papa mandou, isso leva pro céu. Aleluias mãe!
Eu sinceramente, me decepciono com a vontade das pessoas de mudar a o política ou quando gritam por justiça! Em um protesto, nem tentam ir porque estão convencionadas a dar errado. Maldita a pessoa, que criou a convenção, o natural, o comum, o 'de sempre'. Em outros tempos, diria que as pessoas são preguiçosas. Hoje digo que são burras. Ao assistir The Following, percebo como os psicopatas estão nos controlando, obrigando-nos todos os dias. De maneira passiva, estamos sangrando com a faca de argumentos deles, e, morrendo lentamente em um delícia sem fim.

érica Prado disse...

"De maneira passiva, estamos sangrando com a faca de argumentos deles, e, morrendo lentamente em um delícia sem fim."

uma delicia é esse seu comentário haha
e é uma faca de dois gumes, cara. não tem como não se ferir, seja de esquerda ou de direita kkk