Home

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

silêncio em (uni)verso


fez-se silêncio na calçada
e o vento frio que soprava,
parecia insone a madrugada,
que até parecia a alvorada.

fez-se silêncio nos bares,
e até o burburinho, nos lares,
se aquietou por um minuto.

fez-se silêncio tal qual luto,
aquele som do silêncio no ar...!

calaram-se todos.
calaram o mundo:
tudo mudo.

fez-se silêncio em meio ao dia.
o dia tímido que amanhecia...

fez-se silêncio.

olhares contemplativos
de quem não dormia.

o dia rompia,
a noite dormia.

e o silêncio,
silenciou-se.

ninguém soube o porquê
do dia raiar tão quieto
e o poeta, sempre desperto,
sorriu, ouvindo estrelas que dormiam.


Comentários
2 Comentários

2 comentários:

Huirian Suzin disse...

simplesmente bonito... ou silenciosamente lindo

Gilson Santiago disse...

Obrigado, Huirian! :3